Pages

Sunday, April 29, 2007

Crónicas belgas 2

Sexta-feira. Como o tempo passou! Depois de amanhã regresso à vida de todos os dias. Por um lado alegra-me ver o fim desta angústia feita de papeis. Arregaçar as mangas e vencer obstáculos. Por outro é o fim de algo bom. Algo possível mas difícilmente repetível. Pessoas que mais uma vez vão "deixar buraco". Ainda não consigo ser adulta no que toca a despedidas. Sobretudo não cá dentro. Mas desta vez estou decidida a não me deixar vencer pela tristeza. Vou engolir mesmo as lágrimas mais pequeninas, correr para as sebentas, diminuir estragos inevitávelmente causados com a minha ausência. Vou concentrar-me em preparar a próxima aventura além-mar. Porquê focar-me nas sombras quando há tanto lá fora?
Hoje foi uma noite-não. Daquelas em que faz falta mais "qualquer coisa". Isto de conviver vinte e quatro sob vinte e quatro horas com dois casais tem disto! Nestas alturas fico com saudades redobradas da Sofia... Enfim... não sou de pedra. Recaídas quem não as tem?... Ainda há dias em que não me consigo encher as medidas sozinha. Amanhã será um novo dia. Virão beijos e palavras de amor e eu sorrirei. Honesta e abertamente. (Hoje não, mas amanhã de certeza que sim!)

2 comments:

marina said...

ah isto quer dizer, uma noite está acordada às 4h da manhã, depois "faz falta mais qualquer coisa" ya ya... deve ser isso... =P

as despedidas são sempre (sempre!!) surpreendentes. pensamos sempre que estamos preparados, que "desta vez não vou chorar", mas depois é demasiada emoção. aquela que não se controla. por um lado é bom, certo? significa que as pessoas são importantes :)

bjosss***********

xary said...

que bonita crónica, joaninha :)

voa, voa mas o coração está sempre onde sabe bem estar.

despedidas custam sempre. noites-não também. buracos que se despertam através de insónias. e há coisas de que realmente nunca nos sabemos despedir.

beijo grande * :)