Pages

Tuesday, January 31, 2006

Medo de saltar

Andei a visitar blogs e mais blogs, como forma de pesquisa para o meu próprio pedacinho cibernético e, no meio das observações da estrutura, cor, etc dos ditos acabo sempre por ler algumas frases, ou mesmo o post todo...

Mas que raio de ideia a minha!, que não só não me elucidou o suficiente (e vou ter na mesma que perguntar, porque senão isto não vai lá), como também acabou por minar a minha confiança nesta história do blog.

Cada um dos blogs me parece excelente, desde a personalização (aquela cena da cor e dos links, yadda, yadda, yadda) até (e mais assustador) ao conteúdo dos posts. Então comecei a sentir-me diminuida e incapaz de competir com o vosso excelso nível.

Eu não sou erudita, não me considero nem pouco mais ou menos expressiva nas palavras (por isso muitas vezes utilizo imagens que frequentemente ninguém percebe), ou sou sequer capaz de um discurso coerente e sem aquelas ramificações que nunca mais acabam por cinco minutos sequer! Também o meu lado comico é demasiado singelo para manter um post comico que consiga preencher mais de cinco linhas!

Isto claro, são pensamentos estúpidos, e bem lá no fundo percebo perfeitamente que não é só o talento para a escrita que está do vosso lado, é também terem muito mais estrada do que eu que criei isto hoje. Mesmo assim, parece que um fosso se abriu a meus pés. E penso:

“Vocês olharam para o fosso, abriram as asas e upa! até ao outro lado. Eu, olho para abaixo (porque o meu lado sádico parece de repente tomar as minhas rédeas), e sem asas, não posso senão saltar.”

E tenho medo, recuo, faço birra (o que significa não escrever), tudo porque sem rede e sem asas não me tenho senão a mim, e penso que talvez isso não baste...

Porque eu não sou Eu verdadeiramente. O Eu que fala tem dificuldade agir sem uma piada, ou sem algo que distraia quem ouve quando as coisas se aproximam de um ponto crítico e sincero. Há um outro Eu lá no fundo, um Eu em bruto, genuíno e autentico, simplesmente esse eu não sei como mostrar.

Don’t get me wrong, eu não sou um ser torturado ou algo que se pareça! (quer dizer, não mais do que toda a gente). É-me apenas difícil expressar AQUI tudo o que carrego cá dentro.

Isto não está a ajudar.... – já estou a entrar na lamechice.... Bom, resumindo: eu sou uma medricas que está com problemas em começar a escrever e se sente mal porque toda a gente parece ter um nível de escrita dificil de acompanhar! Pronto!

PS: Estão a ver? Eu sou um perigo quando começo a escrever ao sabor da pena! Tantas reticências e tal e tal e tal que agora queria voltar a um dos pontos iniciais e já não consigo!

3 comments:

marina said...

Salta!
E mostra como és sem piadas, e se não conseguires evitá-las, di-las! E escreve!!
E não penses na "qualidade" dos outros blogs, pensa no que queres do teu!

Já tive oportunidade de falar com o teu EU, e gostei. Não houve piadas (em demasia!! LOL), nem máscaras, eras TU e era eu. Que seja assim, que seja como tu queres que seja! Que sejas TU!

gostei do texto.

:)*************

Rogério said...

"perigos" desses venham eles e muitos. n te subestimes. pelo k conheço de ti, acho k como todos nós, tentas mostrar esse Eu k todos temos e k n sabemos expressar. Esse Eu k se ker expressar de todas as formas e de todas as maneiras. E tu tentas voar, n apenas saltar... todos andamos aos saltinhos à espera k uma brisa nos leve e nos dê forças para nos tornarmos seres únicos. nunca recues a nada, ninguem merece k o faças.

"You bow to no one"

bjs ***************

=)

Martinha said...

sem te aperceberes já saltaste e já começaste a bater as asas da escrita ;) o facto de seres tu já basta para fazeres o que quiseres e escreveres o que quiseres ;)

podes ter a certeza ;)

beijinhos