Pages

Saturday, October 11, 2008

1920-2008

Assim pela manhãzinha, quando ainda não havia sol e o céu prometia apenas um dia cinzento e chuvoso, morreu o meu avô. Para não variar, a notícia caiu num vazio preenchido de ecos. Avô? Quem? O meu? Não conheço... É sempre assim: nunca sinto NADA. Não sei explicar porquê, sou simplesmente assim. Apago todos os registos emocionais (não que houvesse muitos) e fica apenas a ficha com os dados preto no branco. Olho para o resto à minha volta, para as pessoas que foram atingidas como que por uma bomba, e parece tudo tão estranho que é como se estivesse fora do quadro. Resta-me apenas seguir a corrente e ir emprestando o meu ombro pelo caminho e para além do destino. Gostava de poder dizer adeus avô, foste alguém especial para mim e trazer-te-ei sempre comigo. Mas como disse, não sinto nada.

1 comment:

xary said...

às vezes parece ser melhor assim... no entanto, é outro género de vazio pesado que se carrega. e alguma coisa sentes nem que seja o sentimento de nada pareceres sentir. acho que essa numbness também é normal, outra forma de lidar com a 'bomba' que caiu aos vossos pés. no matter what é sempre uma fase um pouco triste.

as melhoras :) ** [ ]