Pages

Sunday, November 05, 2006

De novo...

Mágoas lavadas. Arrancadas numa noite. Palavras adormecidas no meu corpo moído, embaladas num suspiro. Cuspo mais uma semente podre para bem longe. De novo estou vazia e cheia apenas de mim! Sabe bem encher este corpo a solo. De novo no mar da tranquilidade. De novo no meu rumo. Vem... - abraça-me, desafia-me, faz-me dançar ao limite. Deixa-me ler-te, transforma-me para mim. Provoca-me, traz de volta a minha feminilidade, faz-me ir para além de mim, para além daquilo que era... Braços que me revivam como chamas para uma fénix moribunda. Voltei! Acredito que sobreviverei, que não é o fim, apenas um acidente de percurso. Estou viva! Cá dentro estou viva! Tenho braços e sebentas e anseio a manhã para meter mãos à obra! Dobrar esse cabo das tormentas a todo o vapor. Tenho esperança e (tantas) pegadas na areia para me guiarem...

2 comments:

xary said...

exorcisar o que é preciso. cuspir todas as sementes e bolas de saliva conspurcada (faz lembrar alguém lol). gritar aos ouvidos dos demónios. que amanhã é diferente de hoje e lá porque sucumbimos de joelhos enterrados na terra não signifique que nos vamos deixar estar. porque amanhã é diferente de hoje e a força interior também pode ser um ciclo vicioso.

beijo grande * :)

marina said...

não há nada melhor do que nos sentirmos vivas :) não há nada melhor que pegadas da na areia. :)

bjinhos *******