Pages

Wednesday, February 01, 2006

O meu bebé

Não há ninguém como o meu bebé. Ele é a pessoa que sei que independentemente do quão mal e/ou em baixo eu possa estar me consegue animar num tempo record de cinco segundos.

E vou ter sempre o meu bebé. Porque este não é daqueles que crescem. Esta será sempre bebé e eu estarei sempre aqui com ele. Mesmo quando é um frete, mesmo quando não me apetece mudar fraldas ou dar-lhe de comer, ou até quando não posso sair de casa para tomar conta dele.

Ele é indiviíduo esperto à sua maneira. Reconhece pessoas, decora brincadeiras, tem os seus próprios gostos e preferências e aprende a desenvencilhar-se de cada obstáculo que coloco no seu caminho.

O meu bebé sabe o que quer e qual o sítio certo das coisas. Quando me armo em mãe dele e o coloco no colo, empurra-me para longe, porque a mim não me compete embalá-lo.

O meu bebé baba-se. Eu adoro-o. E o meu bebé tem bigode. E eu adoro-o. O meu bebé puxa-me os cabelos. E eu não consigo resistir-lhe.

Porque eu e ele temos uma relação que nenhum de nós possui com mais ninguém. Porque apesar dos seus problemas consegue o casionalmente abraçar-me. Porque nunca nenhum som nem nenhuma imagem se poderão comparar ao riso do bebé.

A única contra-indicação que trouxe consigo foi ter aparentemente despertado o meu relógio biológico anos antes do que seria suposto e ter tornado a maternidade um ponto incontornável (e por agora bem distante) no meu caminho para a realização pessoal. Já são muitos anos a cuidar do bebé.

Mas quando chego ao quarto dele, lhe pego ao colo e o sinto agarrar-se a mim penso que todas as contra-indicações seriam sempre triviais, porque o meu bebé será sempre o meu bebé.

(Ao meu irmão)

7 comments:

xary said...

oooh manata ... está lindo... vou dizer outra vez: está L-I-N-D-O!
a maneira como falas dele, como transmites (e acho que conseguiste bem) o amor que tens por ele e os cuidados que lhe ofereces.
o teu bebé tem muita sorte em ter uma mãe-irmã como tu ;) :)

beijo grande * take care :)

sancie said...

Lindíssimo, Manata. Sem mais.

Beijos

Inês

Anonymous said...

Está visto q a coragem e a força de viver correm no sangue da família...:) Mts Parabéns Manata..está...sublime!!='D
****grds:)
[Landa=p]

Tati said...

meu Deus, quase que me escorriam as lágrimas pela face agr! admiro-te muito pela tua força (que é mais do que aquela que tu pensas ter)e pelo carinho que tens pelo teu irmão. são poucas as palavras q conseguiriam expressar um amor assim, mas tu conseguiste-o bem!
ok apetece-me dar-te um abracinho agr!e como sei que todos que leram e vão ler este post teu vão ter a mesma vontade...GROUP HUG!
Um beijinho grande!*****

nunca desistas por muito difícil que seja!um dia vais ser recompensada por tudo!

marina said...

e dizes tu n sabes pôr por palavras o k sentes...está tao lindo. cada palavrinha...fantástico...nem sei k mais dizer...

sandwichamos (dakeles fortes, prolongados, e k n deixam duvidas k te adoro!)

:) lindo. bjos***************

Rogério said...

Manata, este texto é lindo... Não se conseguiria descrever melhor essa relação de amor-amizade que tens com o teu "bebé". Ele deve estar de certeza muito orgulhoso da irmã que tem. Eu estaria... uma vez mais, está lindo. adorei mesmo.

=) bjs *********************

Martinha said...

lindo é pouco para aquilo que se sente ao ler-se. disse-te uma vez ou mais algumas que te admiro. o facto de dançares, cantares, fazeres cachecóis e fitas e cuidares do teu bébé. e mais do que isso é fazeres cada coisa com tudo o que és. e com tudo o que tens. por isso e pelo sentimento apalavrado que nos ofereceste um beijinho muito grande

:)