Pages

Tuesday, February 07, 2006

Shall we dance?

There is a bit of insanity in dancing that does everybody a great deal of good. ~Edwin Denby

I would believe only in a God that knows how to dance. ~Friedrich Nietzsche

Never trust spiritual leader who cannot dance. ~Mr. Miyagi, The Next Karate Kid, 1994

We're fools whether we dance or not, so we might as well dance. ~Japanese Proverb

Enfim... Que dizer de novo sobre a dança? Já todos (ou quase) viram filmes que expressam, melhor do que qualquer post, a magia e energia da dança (Dirty dancing, Dirty dancing 2, Shall we dance?...)

A esmagadora maioria das pessoas afirma que adora dançar, que a dança é muito benéfica, tanto em termos de libertação de tensão acumulada, como na expressão de estados de espíritos. Mas então porque é que não dançamos?

Eu não sou o INE, mas pessoalmente acho que as razões principais que levam os portugueses a permanecer na ignorâcia/inércia são:

- Alguns estão simplesmente satisfeitos com a música comercial que passa e o tipo de dança "normal" e "moderna" de hoje em dia.

- Outros são tímidos e/ou acham que não têm jeito.

- Há também a tradicional desculpa de não irem por não terem par.

- Os homens, muitos deles pelo menos, parecem achar que aprender a dançar é coisa que põe em causa a sua masculinidade (o que é um total absurdo, visto que aquilo é uma mina de mulherio, é só escolher!)

A música costuma ser, de facto, um universo agreste de início - não conhecemos ninguém, não acertamos com os tempos nem com os passos, baralhamo-nos quando temos que fazer movimentos distintos com os braços e as pernas ao mesmo tempo, e é frustrante quando sentimos a música a chamar e no fim não atinamos com aquilo.

Mas os minimamente resistentes depressa dobram, ainda que com alguma dose de trabalho, o cabo das tormentas. Apartir daí é sempre em frente. Estas são pessoas que semanalmente descobrem em si um pouco mais de confiança neste mundo da música e que aprendem que o que se vê na televisão não é só para alguns.Vão conquistando o seu lugar na pista.

Quer dizer, aquilo que passa na televisão é muito difícil para nós, simples mortais que não estivemos anos a aprender aquilo, mas é possível fazê-lo a um nível mais mundano e menos rigoroso (até porque ninguém dança assim sem ser nos espectáculos).

Mas voltando ao tema principal, a dança não é apenas uma questão de mero divertimento, é também algo que nos permite descobrirmos um lado nosso totalmente novo - e isto não é só para os que se sentem incompletos ou perdidos -, porque a dança traz consigo um gosto, uma especiaria, uma expressividade nova (estou a começar a repetir-me, mas é a melhor forma de não recorrer à minha experiência pessoal, já me chamaram nomes suficientes!)

São todo um conjunto de ingredientes que se misturam - as luzes, a música, o par, a força do corpo do par contra a força do nosso (isto é sério, é o chamado efeito-mola), o reagir naturalmente aos sinais corporais do outro, ou até em animações, ver toda uma massa populacional "considerável" a mexer-se em perfeita sintonia.

Em termos clínicos a opinião dos especialistas é bastante positiva: dançar queima calorias, oferece resistência cardiovascular, ajuda a criar músculo nos membros inferiores e superiores, estimula a produção de endorfinas, liberta toxinas...

Em termos psicológicos e/ou sociais parece estar tudo a favor da dança: melhora a auto-estima, desenvolve o sentido de disciplina, estimula a criatividade, convida a convívio, deixa-nos abertos a novas amizades...

Por isso não se acanhem! Levantem o rabo do sofá e, sem medo, venham dançar. Não queiram ser como aquelas pessoas que, de cada vez que vêm um programa de dança dizem "Ai, quem me dera saber dançar! Se ao menos tivesse mais tempo/disponibilidade/saúde, menos idade...". Entrem num universo em que as palavras "vamos dançar?" têm um significado maior do que improvisar uma coreografia individual ao lado de outra pessoa na mesma empresa (ou como eu costumava dizer, com um bando de macacos em época de acasalamento!).

E se de princípio não correr bem, não se preocupem, como dizem algumas amigas salseiras:

"Um dia ainda vou aprender a dançar esta merda!" e

"Podemos não dançar muito bem, mas divertimo-nos imenso!"

3 comments:

marina said...

Bora!!! onde?? kdo??? eu entendo exa liberdade corporal/emocional. é o mesmo cm yoga, mas cm o factor social. mas bora la!! salsa, tdo...sabes k eu pa fzer figuras tristes....é akela base!!! e n morro sem conhecer o famoso joaozinho!!!!!!! LOLOLOL

:)**************

xary said...

isso é que tentar levantar a moral (e os tais rabinhos do sofá) e ganhar mais adeptos :)

eu dançava algo "diferente" (ballet) mas a sensação de magia, de entrega total acho que é a mesma. afinal de contas, a dança em todas as suas vertentes mostra-se sempre igual :)

beijo grande

(bom post de motivação!)

Anonymous said...

"Bora!!! onde?? kdo??? "!!=D sim, n tenho jeito nenhum e sou tímida, mas gosto imenso d dançar, especialmente latinas!! e sim, mm k n dance nd d jeito, ao menos divirto-me!! BORA! N perco uma dessas animações por nada deste mundo!!=DD
avé Manata!!;D
**************!!:D
[Landa=p]