Pages

Sunday, April 16, 2006

Construções na areia

Fiz um castelo na areia. Veio a maré e o castelo foi à vida! Paciência, ainda um pouco contra-feita começo a construir um novo. Um melhor, maior, com portas e janelas, e conchas a decorar nos muros, talvez até um fosso com crocodilos! A maré voltou, e antes de ter tempo para me posicionar de forma a proteger o castelo, pimba! O meu esforço, empenho e trabalho sob o sol quente foram com as ondas... Afasto-me das ondas, vou construir lá mais para cima.

Começo a fazer um túnel, até onde o meu braço conseguir escavar. Escavo até encontrar água. Depois, recomeço outro buraco até chegar ao primeiro, e assim por diante, criando uma rede subterrânea. Uma criança vem a correr... Pé na poça, ou melhor, nos túneis! Que sina! Bolas!, é preciso ter azar... Bom, por via das dúvidas é melhor fazer algo mais simples, que não dê tanto desgosto de perder.

Pego numa dessas penas de gaivotas caidas na areia, lavo-a com água do mar e começo a escrever na areia. Primeiro o meu nome... Que cliché, é melhor escrever outra coisa! Uma citação! isso mesmo! escrevinho qualquer coisa. Sim, fecho aspas e está acabado. Olho para onde comecei, e já pés e patas apagaram o princípio... Fogo! Que nervos! Lanço a pena para bem longe e deixo-me cair na areia... Sentada, olho para as ondas... Respiro fundo, deito-me de lado e fecho os olhos...

Não sei se quero começar outro projecto. Cai tudo por terra, e estou farta de desgostos. Deixo-me ficar neste impasse, sabendo que mais cedo ou mais tarde vou ter que recomeçar a construir castelos na areia, na esperança que desta vez a maré não me consiga alcançar...

4 comments:

Anaoj said...

Uma palavrinha, minha amiga: betão.

Rogério said...

pois, eu tb quando me dá para escrever na areia é o meu nome. uma beca self-absorbed. parece quando compramos uma caneta nova. para a experimentar escrevemos quase sempre o nosso nome. mas ya joana, betão.

********************

:)

marina said...

adorei este post!!! mas tenta sempre essas construções, mesmo que não as ponhas em prática, arquitecta mentalmente até encontrares um terreno e ambiente mais estável ;)

:) ******************

xary said...

não desistas das construções na areia. elas precisam tanto de ti como tu delas.
como num poema ortónimo ficou escrito:

"caiu, mas não faz mal;
torna-se já a arranjar
"

tem de ser esse o espírito. cai por terra mas tu consegues levar tudo aos céus novamente :)

beijo grande*