Pages

Saturday, April 22, 2006

Tender trap

Tu és uma pessoa estranha! Não me dizes nada, apenas olhares de reconhecimento, daqueles que dizem "Olá! Estás boa?". O meu nome e mais nada. E não sei até onde posso ir contigo. Porque não te conheço (bem) e tu (pareces) não te deixas descodificar.

Fazes coisas que para ti são apenas brincadeiras, mas para mim têem um significado mais profundo. Será que sabes disso? Não, de certeza que não. Apartir daí tenho que me lembrar desse facto fatídico para não cair (erradamente) na "tender trap"!

Porque não sei quem és. Fazes-te de difícil e obrigas-me a fazer tudo por ti. Sorris. Sorris sempre. Mas não dizes nada. E tantas vezes foste um amor comigo e não sei sequer se foi intencional ou não, se te apercebeste do que (me) estavas a fazer.

Enigma...

Sei que o meu corpo gosta de ti. Não, não dessa maneira! Gosta e apenas isso. Ponto final.

Sei que quando danço contigo nada mais existe. Não, não és fascinante, mas cativas-me. Sabes funcionar comigo, guias-me bem. E sim, é verdade que o teu olhar perturba-me. Mas isso não quer dizer nada!!!! Os olhares perturbam-me, nunca fui uma pessoa muito frontal. Não é defeito (neste caso não é nenhum elogio para ti), é feitio (meu). E confunde-me esse teu sorriso quando dançamos. É sempre o mesmo, aí estampado na tua cara, constante.

Três segundos depois soa o alarme na minha cabeça - TENDER TRAP! TENDER TRAP! - a piscar, vermelho, intermitente e urgente. Porque nada do que acaba de se instalar na minha cabeça é real. Nada. Somos apenas estranhos conhecidos. E não sei o que fazer contigo. Nunca fui boa em relações e falta-me a prática (que tu me exiges) para as começar. Foste claro desde o início: Estou mal-habituado!, não sou eu que te vou buscar, tu é que tens de o fazer!

Raios te partam! Tu e todos os outros que dão apenas um sorriso e nos forçam a fazer o resto por nossa conta. Empatam as vossas peças num tabuleiro de xadrez e eu que avance e faça o jogo sozinha!

Vou-te buscar. Tu, triunfante porque mais uma vez eu fiz tudo sozinha e tu sais vitorioso deste jogo estúpido. Ou será que não? Como já disse, não te consigo ler. Não sei como funcionas...

Quero lá saber! Nesta noite de saltos altos custa-me a admitir que és o único capaz de me conduzir pela pista de dança como se estivesse descalça. Mas aceito o desafio... Hei-de conquistar as tuas (vossas) palavras! Sorrio-te em resposta, deixo-te conduzir-me e deixo o meu corpo ganhar expressão.

E a camisa preta que não sabia que (também) tinhas...

7 comments:

Tati said...

huum complicated porque tb deve ser estranho porque com a dança tambem deves ganhar alguma intimidade com a pessoa mas não a conheces bem cm pessoa ou conheces mas é duma maneira dfrent, cm «espirito dançante», será que captei a msg ou cm tu dizes «meti o pé na poça»?

xary said...

they smile and we lead.

a intimidade da dança pode ser um bocado enganosa em certas alturas. há que saber distinguir as cenas. mas a imaginação - ou sabe-se lá o que seja - quer sempre ir mais longe ...

evil, that is what they are ;)

beijo grande*

marina said...

ai as camisas pretas!! são a nossa perdição! =P LOL

mas acho que quando se dança, cria-se aquela ligação física e momentânea. resulta ali, na pista e quando acaba a música, acaba a "relação"..é isso? humm... talvez... a perita nesses temas és tu, não eu..

mas deve ser difícil perceber quando o real vira fantasia e/ou vice-versa, não? bem, mais uma vez...a perita és tu... :S

**************

(e não levei nada para o mal, tá?? tu é que tens a mania que eu sou preversa!!! =P)

Rogério said...

o que tu queres, sei eu.

;)

**************

LOL

Martinha said...

:) os homens são esse ser estranho. envolvem-nos e sabem que o fazem. mas têm neles uma força quase doce de se fazerem de desentendidos.

nunca os compreenderemos. mas talve consigamos ir aprendendo a viver cm eles.

nice post :)

com a tua energia e força mas ao mesmo tempo com tudo o que é ternura em ti. ;)

Sari said...

correndo o risco de estar enganada... mas acho q o mal desses momentos de intimidade como chamamos (nao so fisica... :P) o mal desses momentos eh q so nos (as gajas) eh q ficamos a pensar nisso. eles estao la, a cabeça tambem pode la estar. mas qd acaba "a dança", pa eles acaba mesmo. enquanto nós mts vezes continuamos a rodopiar sozinhas, a pensar e analizar e a (re)sentir tds os momentos.

e esta é a minha opinião.

esse teu alarme anti-tender traps eh q sim, sra! :) não dá descanso nem espaço pa pensar em cair nelas... :P

*bjinho

sancie said...

LOL

oh god, i'm like the latest ever!!!!
damn u all, punctual girls!!!!:P

well, u know, what they all said...;)

***************