Pages

Friday, April 14, 2006

Uma banalidade qualquer, como o meu nome

Joana...

Joana, joana, joana, joana, joana, joana, joana.....

Parece insignificante de tão banal que é de ouvir... o nosso nome...

Joana, sempre joana. E quando não era joana, era manata, e quando não era manata era... coisas piores... (tempos passados, felizmente)...

Mas hoje foi diferente, especial. Numa turba gigante de gente, rostos por todos os lados, pessoas que se conhecem há tanto tempo. Ouvir o meu nome... Mais do que a expressão de reconhecimento facial, o MEU nome...

Houve uma noite em que chorei. Muito mesmo. Meia caixa de lenços (daqueles grandes que se vê nos filmes - promenor insignificante!). Havia muita gente. Alguns conhecidos. E durante tantas horas nenhum se aproximou de mim. Nenhum me chamou para dançar. E depois apercebi-me que nunca nenhum deles dissera o meu nome. Aliás, estava certa que a maioria nem sequer sabia. Até hoje.

E não precisei de fazer nada! Surpreendeu-me. Muito. E fiquei feliz, mesmo. Por uma banalidade. Joana! E saiu como se de nada se tratasse, como quem diz "bolacha", "garfo" ou "televisão", veio assim - ...joana... Como se tivesse sido sempre assim. Como se eu tivesse estado sempre lá. Olhei para eles (sim, porque foi uma acção em simultâneo, como aquela "coisa" em escadinha dos dominós!) e sorriam e continuavam, como se não tivessem dito nada de mais!

E eu sorri. Porque hoje o meu nome foi como chocolate quente numa noite de Inverno, como uma lágrima (só uma!) depois de um suspiro.

Down came the rain, but even when down came the rain, out came the sun!

5 comments:

sancie said...

Sometimes it's all it takes, little things :)

Beautiful post, Joana :)

********************

marina said...

ohhhh...está mesmo fofinho este post!!

:) *************

Anaoj said...

Ah desculpa, pensei que me estavam a chamar.

Rogério said...

hum... ouvir o nosso nome é sempre bom, em vez de nomes menos próprios. tipo, "o gordo" e cenas assim que xeguei a ouvir mta vez. e agora sou eu o magro e o resto do ppl anda a vestir o 46. duas palavras: bem feito! LOL.

***************

xary said...

quando era pequena nao gostava nada do meu nome. ate pedia que me chamassem pelo meu segundo nome (rita...) so para nao ter de ouvir sara. sara para aqui e sara para ali (e também os outros "nomes" que de nome nada têm e só servem para chatear). farta dessas 4 letras. e depois quando quem te chama traz carinho embrulhado o nome ganha outro significado. é como tu disseste, sabes que és tu. aquele nome és tu. é banal e ha tanta gente a partilhá-lo mas és tu na mesma. e de repente sara nao é assim tao vergonhoso. amigos chamam-te e sabes que nao podia ser mais ninguem (ok, ha vezes em que é a sari mas pronto lol), ele chama-me e o nome ganha um toque especial que ate se torna estranho pensar que nos poderiamos chamar outra coisa.

e esse chamamento.. acorda-nos e mexe connosco. nao haja duvida que mexeu contigo :)

o post esta amoroso, manata, well done :)

beijo grande*

ps: o roger era o gordo (pelos vistos) mas eu tinha nome assim à rainha - sara-chora-por-tudo-e-por-nada. ainda se davam ao trabalho de chamar algo que demorava 10 minutos a dizer. maravilhoso. a primária (and so on) hoje em dia ja nao é o que era.