Pages

Saturday, June 17, 2006

130.

My mistress' eyes are nothing like the sun;
Coral is far more red than her lips' red;
If snow be white, why then her breasts are dun;
If hairs be wires, black wires grow on her head;
I have seen roses damasked, red and white,
But no such roses see I in her cheeks;
And in some perfumes is there more delight
Than in the breath that from my mistress reeks.
I love to hear her speak, yet well I know
That music hath a far more pleasing sound;
I grant I never saw a goddess go;
My mistress when she walks treads on the ground.
And yet, by heaven, I think my love as rare
As any she belied with false compare.
William Shakespeare
[imaginem a voz do Alan Rickman...] Já tinha saudades deste soneto. Não que seja o meu preferido, mas há que admirar como mesmo depois (e apesar) da desmontagem de todos os chavões da época o sentimento amoroso prevalece... (e agora vou-me calar, visto que não sou a zulmirinha!)

3 comments:

Tati said...

tambem andas numa d shakespeare? eu tb ando assim. ate pus uma citaçao no journal do hi5 ah uns dias atras nao sei se reparaste, se quiseres ver ainda está lá. axei a citaçao na net e marcou mm.

gostei mt do poema que puseste.
:P
*******

marina said...

ai o alie!!! =P sooo kidding!! sim, shakespeare está muito lá! belo soneto!

:) ***********

xary said...

hmmm lembro-me deste poema na cadeira de romantismo com a zulmirinha ;)

e continuo a gostar tanto como nessa altura, óptima escolha :)

shakespeare a rular - e a zulmirinha também hehe :P

vê-se a genialidade do poeta e da sua obra através disso mesmo que referiste, a prevalência do sentimento descrito :)

beijo grande*