Pages

Sunday, June 25, 2006

O sol brilhando cá dentro

Viva... Senti-me viva, como há muito tempo não me sentia, pelo menos não nesta esfera. Feliz, muito. Recompensada? Completamente! Suspiro... Custa afastarmo-nos de um castelo que acabou por ser levado pelas ondas, sabendo que a única solução será recomeçar de novo noutro lugar. Foi assim com a salsa. Cheguei a um ponto tão alto como nunca pensei chegar, até que subitamente o meu balão de ar quente começou a descer. Morrendo aos poucos. As pessoas deixaram de aparecer e eu fui começando a sentir-me sufocada, sem pares para dançar, sozinha num espaço tão cheio de estranhos. Relutante, deixei o meu navio naufragado para construir uma nova embarcação que me levasse a portos tão solarengos como os anteriores, esperançosamente mais definitivos.

Começar de novo depois de ter chegado tão longe... Dói, mas é mesmo assim. Uma escola nova, professores, colegas e amigos novos, nada de extraordinário, não fosse eu o pequeno caracol tímido que sou! Enfim, lá recomeçavam as conquistas - um sorriso, um "olá!", o nosso nome pronunciado, perguntas, pequenas conversas, um convite, (...) uma amizade!

Finalmente parece que começo a ver uma luz no fundo do túnel. Sempre soube que esta era uma empresa que daria trabalho, que não seria fácil. Mas também sempre tive a total consciência de que este era um muro que queria ver derrubado. Porque me parecia merecê-lo. Porque me parecia que esta era uma instituição, mais sólida, improvável de ruir como a anterior, tal como uma família que, desde esta nova turma, me parece mais... afável... Tão semelhante com o sonho que deixei para trás...

Relembro o meu post da Tender trap. Prometi a mim mesma conquistar o meu lugar como uma igual, como membro pertencente desta família - ter um lugar nas fotografias de família! Devagarinho parece que vou encaixando (como diria a marina, "Baby steps!"). Tudo parece ter um significado maior - fico feliz (tão feliz!) quando oiço o meu nome, quando percebo que há conversas para mim (ao invés de serem apenas conversas em que eu tenho permissão para ouvir e potencialmente, quem sabe, participar), quando me convidam para dançar, quando a minha presença no cinema não é indesejada, quando me é pedido várias vezes para jogar um desporto para o qual não tenho jeito, apenas disposição!

E hoje foi um dia assim. O primeiro dia de praia - a tomada de consciência de que estou mesmo de férias -, o mar, a praia, o sol, tanta gente, tantos sorrisos, tanta boa disposição... E houve conversas, e houve volley, e houve claques, banhos de mar (com conversas ou shakespeare!), amizades a formarem-se, risos, sandes de atum e cerejas, houve eu com amigos - e fiquei feliz, feliz por ver tanta gente à minha volta, feliz por me sentir em casa...

4 comments:

marina said...

ohhh...acho que o post transmite bem a alegrai que sentiste porque eu fui lendo-o com um sorriso nos lábios... :)

a sério, percebe-se muito bem o teu entusiasmo e a importância de pertencer a esse grupo, a essa parte que tem uma papel tão importante na tua vida...

gostei mesmo muito do post :)

************

xary said...

o primeiro conhecimento é que custa mais. quase assusta. porque ainda sem dar já damos muito com a nossa expectativa. pulsa cá dentro e quer sair cá para fora. dar forma ao sorriso e não nos enganarmos. confiarmos quase cegamente. depois o conteúdo reconhece-se. não há enganos. há o sorriso que se esperava. há a amizade que cresce. e valeu a pena. mais mãos para abraçar. mais companhia para os tempos vagos. não é só a dança. mas já isso é tudo, o começo de tudo, de muito mais.

:)

gostei da tua descrição, dessa luz que foi florescendo aos poucos nas palavras.

beijo grande*

Tati said...

sim cm a marina diz...baby steps...e tu és assim, qdo te conhecems pla 1ªvx és mt timida mt fechada, és cm as flores, dps vais-te abrindo(epa nada d double meanings ok?)e abrindo e dps mostras o polém as bees and butterflies (epa dei-m ao luxo d chamar-m d borboleta xpero k nao te importes) e afinal és uma maluca sensitive(ok ñ sei s vais perceber mas pronto)

bjinhs fico feliz por estares a eintauchen!hehehhe assim so nos as 2 e joana eke percebems hihihihi:P

*******

Martinha said...

alguém um dia disse que " o ser humano é um ser de hábitos". E mudar dói. Porque nunca sabemos se será para melhor ou se será só mais um degrau alto pra subir e continuar à procura.

Gostei muito do post. Pela quantidade de alma que puseste nele. Soube muito a verdade, ainda que um pouco (muito?) magoada...

Tenho a certeza que encontrarás mais razões e mais motivos para esse sonho que continua o mesmo. :) deslocado do que era mas ainda assim, o mesmo. E talvez o consigas fazer crescer ainda mais. E chegar ainda mais além do que julgavas possível. :)

É essa entrega crescente que nos permite ser mais felizes. por muito que nos seja dificil entender alguns rumos que a vida toma.

Tudo a vida vai fazendo pra nos melhorar as oportunidades :) Subtilmente. :)

p.s. desculpa o uso abusivo das palavras mas quando toca a sonhos e a mudanças, as minhas palavras correm :)

muitos beijinhos. e forças doces para a nova etapa :)

************