Pages

Sunday, June 25, 2006

Café de viena e stracciatella

Sós, como já não acontecia há muito tempo. Já tinha saudades, muitas. Fazia-me falta a tua companhia como dantes, as nossas conversas, as tuas (nossas) parvoíces. Rir até chorar, conversas francas sem interrupções ou limites de horário... E nessa noite deixo-te falar até não teres mais nada a dizer sobre o assunto, e não me sinto minimamente incomodada, nem se me interrompes para voltar à tua conversa. Não há ninguém connosco, não preciso de ter pressa para te falar da minha vida. Digo para mim mesma, baixinho para ninguém ouvir, como soube bem essa noite em que não te partilhei com ninguém. Ciúmes? sim, um bocadinho. Já sabes que nem sempre o que sinto coincide com o que penso, e que nunca me insurgiria se não achasse que tenho razão naquilo que sinto (e neste caso não acho que tenha). Tu tens outras prioridades, outras paixões - eu compreendo e apoiar-te-ei sempre, mesmo quando ao fazê-lo perceba que fique mais tempo sem estar contigo. A vida é mesmo assim. Um dia também virá alguém que me fará optar por estar um pouco menos tempo contigo. E não faz mal.

Mas por agora agradeço a noite que passámos (bonding time!). E agora abre as asas e voa, vai viver o teu Verão, mas sempre que puderes manda um postal! ou deixa-me ir contigo quando puder ser...

3 comments:

marina said...

esclarecimento: rir até chorar da minha desgraça!!! uma pessoa com o teclado marado e ela parte-se a rir...é nessas alturas é que se vê quem são os verdadeiros amigos =P

oh, sim (ok, isto soou mal...:S), sem limites de horários!!! e com muito geofrey!!!! =D=D

As pessoas é assim, fazem falta umas às outras...e é por isso que volta e meia mando o pessoal todo para minha casa =P para não termos os limites habituais, para podermos relaxar (no edredon no chão do meu quarto ;))

Todos temos outras prioridades, outros amores, paixões, o que seja...e todos sabemos dizer que às vezes só queremos estar com parte desses amores. Às vezes pesam uns mais que outros, mas depois compensa-se tudo. Sempre. Abre-se mão hoje, para ser só nosso amanhã.

E digo-te mais. (Acho que já sabes mas pronto...) As minhas portas (com o cão fechado, claro!) estão sempre abertas para ti :) e lá vamos nós para o barreiro (ou não...) chegando intactas a casa (nossa casa, por uma noite) pela via rápida! Ah malucas!!!!

Ai de ti que tenhas uma noite livre e não digas "vou ai ter contigo!"...é que nem pestanejo! (a não ser que já tenha combinado saltar a janela, mas aí vens tu também...ou então não, que não quero levar mais palmadas :S enfim, tu percebes a piada =P)

e elah que isto está a ficar grande!!!

e by the way, pode sempre ser... :)

************

xary said...

a vida é circular e não estamos nem podemos estar sempre no mesmo lugar ou em vários lugares ao mesmo tempo. embora às vezes a vontade seja mesmo essa. mas concilia-se tudo como se pode, como se sabe. não quer dizer que se o faça da melhor maneira mas é da maneira possivel. e como disse a marina (e bem!) "abre-se mão hoje, para ser só nosso amanhã"; such wise words :)

fosse como na perspectiva trafalmadoriana (slaughterhouse five :P) e teríamos todos os momentos, todas as companhias sempre connosco, nenhuma sobreposta a outras. mas somos apenas humanos e se nem sempre pode haver companhia física, resta o conforto de saber que o coração está sempre aceso :)

dias desses - sem limites, sem horários - são bons djimáis ;)

beijo grande*

Tati said...

é normal os outrs terem outrs prioridads, as vxs ponho-m a pensar cm sera daki a uns anos qdo cada um for po mundo d trabalho...quais serao as amizades resistentes,qts vxs nos vams ver(poucas?mts?as vxs?),cm vai ser td, e penso q tems mm d aproveitar td mt bm aproveitado pk dps acaba-s a papa doce!