Pages

Sunday, June 11, 2006

Livros e amores

E assim o terramoto passou... ou quase! Espero ainda uma réplica, mais pequena, daqui a uma semana. Por agora fico assim... Respiro fundo, deixo-me estar... Prometi tanta coisa, queria tanta coisa, e agora que tenho o tempo, fico parva deitada na minha cama, ainda a tentar perceber se isto é real. Poderá mesmo ser verdade que estamos quase no fim??... Olho para os livros e dvds, namoro-os lentamente, quase como uma pequena tortura que me imponho. Como se não houvesse mesmo pressa, como se tivesse todo o tempo do mundo.

Regresso a portos tão familiares, por amor. Aquela peça que tão bem conheço, o novo romance que não quero largar, o filme que me habituei a ter sempre no leitor de dvds... Tenho tanto para ler, tanto para ver, tanto à minha espera... mas volto sempre ao que já conheço, onde já nada pode ser inesperado... É mesmo por amor, digo a mim mesma. Somos como enamorados destinados a encontrar-se todas as noites. Páginas sublinhadas, palavras sabidas, lombadas dobradas do uso... E mesmo assim não consigo deixar de ir ter com vocês, que já ganharam espírito, que vos sinto naturais na minha mão quando vos levo comigo, como se já fizessem parte de mim. E penso que foi por isto que escolhi este curso. Porque tenho amores entre seres inanimados, porque adoro as infinitas possibilidades e destinos que posso ter tem vocês, meus companheiros de tantos anos...

[bolinhas de sabão à janela]

Penso em coisas completamente diferentes, em pessoas diferentes, numa pessoa... E é absurdo! É platónico de cima abaixo! Amor? Tão longe disso... - não sou nenhuma adolescente idiota com posters no quarto e um clube de fãs! É mais admiração. E uma ternura imensa pelas personagens, mesmo aquela que nos últimos dias fui ensinada a odiar! Seu realizador manhoso que foste tornar Frankenstein tão inocente!... Sabem aqueles homens, aquelas personagens com ar de putos, ou um qualquer não-sei-quê que nos fazem sorrir de carinho, naquela do "Ooooh! Tão fofo!!!"... E não é amor, mas há qualquer coisa que derrete! E fazemos uma nota mental de procurar também isso num futuro amor...

E nestas alturas, nestes dias fico aqui esperando... Esperando que o vento me traga um Benedick... Estou calma, pacífica. A minha vida segue, sem dramas, mas de vez em quando olho pela janela, como se esperasse vê-lo... E levo a janela comigo, sempre. Porque desta vez, posso esperar, mas não parada no cimo de um torre de marfim...

2 comments:

marina said...

sim, estamos livres!! LOL também eu tenho namorado os meus livros...a pensar nos próximos que vou ler e tanta indecisão... e tal como tu, podia ver coisas novas, desconhecidas, mas não. quero aquilo que já sonheço, aquilo que sei que vou gostar, que já sei de cor.

oh, e o kenneth é o kenneth!! seja lá a personagem que ele faça! LOL

se há coisa que aprendi é que as janelas podem ser as maiores portas para os momentos mais felizes. salto a minha, com um sorriso sempre nos lábios. :)
olha a tua com bons pensamentos! :)

***********

xary said...

finalmente tempo para esses sacaninhas. neste momento o chão do meu quarto e mesa do suposto estudo está decorado com ilhas de livros empilhados. sinto-me confortável e é assim que devia sempre estar - uma enorme confusão de obras :)

quero aproveitar o verão para ler livros ainda desconhecidos mas da estante sorriem-me os livros "do coração", percebo perfeitamente esse flirt ;)

cheira-me (?!) que este verão o you've got mail vai ser revisitado à exaustão :P

we do really love to dream away, don't we? :)

beijo grande*

boas leituras e afins, por conhecer ou familiares, who cares? :D