Pages

Wednesday, May 10, 2006

Amar!

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente...
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...


Florbela Espanca

(não sei porquê, a imagem "soou" bem aqui... I think you get the point...)

4 comments:

Tati said...

oooh esse poema é tão lindo...gosto tanto dos poemas de Florbela Espanca...
essa imagem da pequena sereia é mt bonita...com a luz do sol a brilhar no mar.

gostei muito deste teu post!
Florbela Espanca é mesmo daquelas autoras...
este poema é daqueles que reconheces em qualquer lado.
muito lindo mesmo.

marina said...

também gosto de Florbela Espanca...não sei se conheces aquele soneto, Fanatismo. É brutal... eu tenho um livrinho minusculo com 60 sonetos dela...

E este soneto também está lindo... no meu ver (LOL) transmite uma grande força, um desejo de vida e de amor. Gostei muito.

:) *****************

xary said...

é isso mesmo, força. beber tudo na vida de um trago.

também gosto imenso de florbela espanca, há poemas lindissimos :)este então... wonderful. boa escolha, manata :)

e sim, olha que até ficou bem com a imagem da little mermaid.

beijo grande*

Anonymous said...

Very best site. Keep working. Will return in the near future.
»