Pages

Saturday, March 11, 2006

Pensamentos de noites calmas

Contextualização: Resolvi coleccionar as tiras da Cathy (ainda por cima na net são a cores!). Ao fim de algumas horas já tinha cerca de três anos de tiras diárias. Tão cedo não volto a tirar mais nada! Bom, o certo é que tanta Cathy deu-me a volta à cabeça!

Veio-me aquela saudade das noites em que ficava a ler os livros da Cathy na minha cama, antes de adormecer. E mais - voltou aquela ansiedade pelo futuro. Casa própria. Relacionamentos pseudo-sérios. Emprego. Tudo o que tenho neste momento são sonhos e conjecturas.

Esta é supostamente a "idade de ouro" das nossas vidas (quem é que nunca ouviu este discurso?)... Passamos metade da nossa vida a querer andar para a frente e a outra metade a tentar regressar...

Mas até que faz sentido - temos tanto para viver agora, tanto à nossa frente, infinitas possibilidades que nos sorriem..., que queremos é desbravar caminho, descobrir o que a vida nos reserva. E quando "lá" chegamos, satisfeita a nossa curiosidade, apetece-nos voltar para trás.

É como os sábados de manhã quando era criança. Levantava-me cedo para ver os desenhos animados e quando acabavam (ainda antes da hora de almoço) ao regressar ao meu quarto dava com a cama feita. Queria sempre voltar lá para dentro mas a minha tia nunca me deixava...

Assim é tudo na vida - nunca estamos satisfeitos e vivemos de contradições.

Adoro o meu quarto, como um castor que constrói o seu dique um tronco de cada vez. É o meu próprio universo privativo. O meu casulo com o céu pintado por dentro! (e com um candeeiro novo!)

No entanto, quantas vezes não desenhei, planeei e revi a MINHA casa até ao mais infimo promenor?... Se é verdade que a nossa mente funciona como um computador, a minha criou uma (grande) pasta acerca de imobiliário, mobília e decoração. Notas que são feitas diária e automaticamente. Programas do People and Arts, catálogos da Moviflor e do IKEA (por muito irritantes que sejam), livros da Cathy,...

Anseeio por sair, não por me sentir mal, mas por desejar ter algo meu - meu não só no sentido materialista de possuir, mas sobretudo no sentido de construir algo sozinha. Um castelo de areia construído na pedra, longe das ondas.

Ao mesmo tempo, tenho medo. Medo? Não. Não é bem medo, é mais pena. Pena de deixar o meu casulo que tanto trabalho me deu. Pena sobretudo de deixar a minha familia. De não poder beijar o meu irmão quando me apetecer, ou de chatear o meu pai com os meus pensamentos descoordenados... Bom, ainda faltam alguns anos... Enquanto não acabar o curso tenho uma garantia de que não é amanhã...

Enfim...

Pensamentos de noites calmas e canecas de chá...

3 comments:

marina said...

o chá tb me dá pa isso..LOL
mas concordo ctg!! tb anseio por saber o k me reserva o futuro e axo k se soubexe ia ser nakela "ok, entao vai ser axim" e continuava a viver ma boa. axo k cmo dixeste é mm curiosidade.
axo k no fundo tdos pensamos na noxa casa, o nosso espaço. agr o k tmos é o noxo quarto, cmo espaço mais intimo, mais noxo, agr uma casa noxa, onde cada pormenor foi feito e pensado por nós...deve ser...fantastico!

ate la, vmos vivendo agr, aos pcos, e pensando nakilo k keremos, sonhar! pk ixo é dakelas boas k inda n fazem mal, dsd k mantenhamos os pés assentes, claro (ai, o belo do discurso moralista!!). epah e eu ja me calava! LOL

bonito post
:) bjos ************

xary said...

quando era pequena também ansiava crescer, acho que era o meu maior sonho. achava que tudo seria melhor, que as escolhas eram minhas e só minhas e havia um controlo pela minha felicidade que ninguém me poderia tirar. sonhos são isso mesmo e depois aprendemos que a realidade é outra coisa. e agora às vezes penso (e sinto) em como gostava de ser criança de novo e ver a vida e o amanhã com esses olhos. outra vez.
uma casa decorada à minha maneira é outra das coisas que também gostaria. às vezes em passeios por lojas tipo gato preto imagino que a peça x ia ficar mesmo bem na minha pseudo-sala ou como aquele conjunto de pratos seriam perfeitos na minha yet-to-be cozinha. até esse dia chegar ainda podemos continuar a imaginar mil e uma maneiras de brincar com os acessórios e o respectivo espaço mas o (meu) quarto será sempre o casulo que é :)

beijo grande

também gostei mt do post :)

(e do teu candeeiro novo hehe)

Tati said...

a mim é mais noites de leite c mel mas ó chá de lucia-lima tb tem o seu lugar nas minhas noites:P
olha eu tb sou assim , planeiar e sonhar com o futuro, próximo e longínquo, e imaginar as coisas ao pormenor.No entanto tb tenho medo. tenho um medo enorme do futuro, do amanha próximo e distante, há algo que me acalma mas tb há outras coisas que me põem a respirar fundo do medo. Acho que é normal idealizarmos cmo vão ser as coisas no futuro.
eu acho.
but that's just me...