Pages

Sunday, August 20, 2006

Joaninha

A Joaninha... joaninha... De anónima passei a ser a cassula outra vez. A Joaninha... Sinto bem ali... Confortável dentro daquele diminutivo, com aquele tom meigo.

Então que idade Tens? (...) Vinte? (grande, grande abraço) Oh! Vinte anos! ninguém tem vinte anos hoje em dia! Oh Joaninha...

Sinto tanta coisa...

Tenho medo desse mundo grande do qual eles falam. As ruas de Londres como as de Lisboa - Ah, então isso é na ... Street! Fazes assim: chegas ao ..., viras à direita quando chegares ao ... e depois quando vires o ... é só atravessares a rua!

Olha, o Zé vai viver para a Bélgica. Como se fosse conversa de café, como se fosse normal, como se as pessoas não deixassem um buraco, como se a Bélgica fosse aqui ao lado, em Cascais ou no Porto, como se fôssemos visitar o Zé quando nos desse na real gana!

Olhem, e se fossêmos passar o ano novo a casa da Sofia a Londres ou a casa do Zé na Bélgica?

Tenho pena de não poder pegar na mochila e sair com eles, para Londres, para o Andanças, para Cuba, para as viagens que organizam assim do nada para amanhã. Histórias que posso apenas ouvir. Fotografias onde começo a aparecer, de presença ainda periclitante. Sou a Joaninha! Com um income bastante modesto, à pendura pelas vossas aventuras quando posso.

Nestas alturas queria ser verdadeiramente livre. Independente. Trabalho com ordenado fixo, carro e casa própria, sem o horário maluco e esferas de amizades tão diferentes. Tudo para poder embarcar convosco nas idas a Barcelona de carro ou nas férias de Verão (fora as férias de família, disse eu naquele instante. - Era isto que eu tinha medo de estar a perder)

Por vezes sinto-me um balão atado a uma pedra.

Oiço duas vozes distintas na minha cabeça:

Mas oh Joana não queiras crescer depressa demais. Tu tens vinte anos, eles são bem mais velhos que tu, não te esqueças disso!

Sabes Joana, acho que devias reduzir drásticamente a salsa e as tuas amizades salseiras. Tu devias era estar com pessoas da tua idade, sair à noite, arranjar um namorado, divertires-te! Não vais voltar a ter vinte anos outra vez!...

Não sei o que pensar... gosto disto e deles, muito mesmo. Sei que estou a conviver demais com a faixa etária errada. Mas será assim tão grave?? Sim, sinto falta do "namorado", de pessoas da minha idade, mas não consigo subtrair (diminuir sequer) a dança, o convívio inerente cujo lugar ainda não conquistei como queria. O dia não vai passar a ter quarenta e oito horas por muito que eu deseje (e mesmo que tivesse não sei se seria o suficiente!). No fim, tudo ficará bem, farei de tudo um pouco na mesma, esgotando-me até ao tutano, como sempre (só consigo viver assim, por completo), mas a dúvida subsiste...

3 comments:

sancie said...

Eu não acho que convivas demasiado com a faixa etária errada (besides, that's such a judgmental remark...).
Simplesmente dás-te com pessoas de diferentes faixas etárias (cause please, what are we, invisible?:P)

Nothing wrong with that :)

As to money, we all wish we had more, or, u know, at all :D

;)cheers**************

xary said...

"por vezes sinto-me um balão atado a uma pedra."

depois de (re)ler o teu post, esta ficou comigo mais tempo. linda imagem :)

mas voltando ao que interessa (;P), essa história de te dares com a faixa etária errada, tal como a sancie chamou a atenção - e muito bem! - ... acho que devias encarar de outra maneira. dás-te com a faixa etária com que sentes bem e se isso significa dares-te com pessoas "mais velhas" então óptimo, sinceramente acho que só sais a ganhar.
as pessoas da tua idade? as pessoas da tua idade não sabem o que querem, não gostam de nada, não compreendem sequer que os outros gostem de alguma coisa, enfim, a malta jovem é só pessoal que não interessa para nada :P (ok, tirando nós e isso! :P)

anyway you know i'm kidding but i think you get my point. a sancie não aproveitou todo o dramatismo que esta situação exigia e não podia deixar esse factor ali de lado, tadito :)

and by the way you've got more friends in the act of dancing, reading and everything else that you do than you imagine. yes they can be considered as abstract concepts (now this sounded redundant...) but we are not that shallow, are we? :D ;)


"como se as pessoas não deixassem um buraco." ... ai ai. olha, outra que ficou.

:)

beijo* - que isto já está demasiado grande lol

marina said...

"como se fôssemos visitar o Zé quando nos desse na real gana!"

oh crap...

essa ficou..

quanto às faixas etárias, são aprendizagens diferentes. com os mais "velhos" tens a experiência, a sabedoria. com a nossa gente, estás a crescer. crescemos todos ao mesmo tempo...

:) **********