Pages

Wednesday, September 20, 2006

E do vazio fez-se luz

Há pessoas que surgem do nada. Materializam-se na nossa vida de um momento para o outro... Não, não é bem isto. Elas sempre estiveram ali, visiveis e palpáveis. É a velocidade com que as coisas se desenvolvem que nos espanta. Já vi isto acontecer uma vez. Não, também não é disso que quero falar. Não é este o caso. Não é isso. É simplesmente o perguntar-me como depois de tanto tempo de espera, de indagar e duvidar..., como é que depois de tanto remoer as coisas se desenvolvem da noite para o dia, como se desde o início apenas bastasse um estalar de dedos. É a descontração com que agora convivo com quem apenas podia sonhar amizades. É estranho e confuso. Surpreendente...

Mas sabe bem. Verificar que não é preciso muito para o que dávamos como certo dar uma volta de cento e oitenta graus, que não há impossíveis... É uma sensação doce, deixar para trás o eu que odeio e passar à verdade. Passar à espontâniedade. É o sentir-me em casa, sentir o conforto e o carinho de palavras alheias, tocar essa manta que me envolve. Há pessoas que me aquecem a alma...



"There's a double meaning in that"

2 comments:

marina said...

"Há pessoas que me aquecem a alma..." gostei :)

aconteceu uma vez, como disseste. mas não acontece só aos outros. todas as portas um dia são abertas :)

é sempre bom saber que há por ai alguém capaz de nos mexer, de nos fazer sentir, sorrir :) mesmo que não seja "isso"... é bom :)

****************

xary said...

de vez em quando parece haver um nó nas relações, muito apertado, impossível de soltar. parece. e depois algo acontece, uma conversa, um sorriso partilhado, um olhar que diz mais qualquer coisa, um pormenor qualquer. algo muda. o nó desata. e tudo o que esteve apertado nessas linhas solta-se em cascata. os momentos dão-se com um fervor que já devia ter sido sentido. sim, às vezes pode até ser um estalar de dedos ;)

beijo grande*

enjoy (the) enlightenment :)